Encontre no blog

30 maio 2014

Educação e educação musical (parte 4)

Educação e educação musical: Integrando conhecimentos para compreender a criança e as relações que ela estabelece com a música (parte 4)
Ilza Zenker Leme Joly

3. Sobre o processo de musicalização infantil

De acordo com as idéias de Brito (1998), os bebês, as crianças e também os adultos interagem, permanentemente com o universo sonoro circundante e, por conseqüência, coma música. Ouvir, cantar e dançar são atividades presentes na vida de todos os seres humanos, com maior ou menor intensidade. Existem músicas para todos os momentos: para adormecer, para acordar, para comer, para dançar, para chorar os mortos, para conclamar o povo a lutar etc. E, segundo a autora, as crianças entram em contato com a cultura musical desde muito cedo, aprendendo os costumes de seus povos e as tradições musicais.

Vikat (1996), em estudos comparativos envolvendo dois grupos de crianças, dos quais um deles foi exposto a um grande número de canções folclóricas, provou que essas crianças apresentaram um desenvolvimento melhor do que as outras no que diz respeito ao desenvolvimento da imaginação espacial, do pensamento lógico, da rapidez e exatidão da percepção auditiva. Portanto, no processo de aprendizagem musical é importante considerar o contato intuitivo e espontâneo que as crianças tem com a música desde os primeiros anos de vida como um ponto de partida para o processo de musicalização.

Para Brito (1998), ter contato com um repertório musical por meio da audição, aprender uma canção, brincar de roda e realizar brinquedos rítmicos são atividades que despertam e desenvolvem capacidades de percepção e expressão por meio da música. Pesquisadores e estudiosos, tais como Gainza (1964), Zimmerman (1990) e Andress (1990) têm procurado traçar paralelos entre os diferentes estágios de desenvolvimento do pensamento e o exercício da expressão musical. A criança, por meio da brincadeira, relaciona-se com o mundo que a descobre cada dia e é dessa forma que faz música: brincando. Sempre receptiva e curiosa, ela pesquisa materiais sonoros, inventa melodias e ouve com prazer a música de diferentes povos e lugares.

De acordo com Brito (1998), durante o processo de musicalização, a criança desenvolve a capacidade de expressar-se de modo integrado, realizando movimentos corporais enquanto canta ou ouve uma música e o canto é usado como forma de expressão e não como mero exercício musical. O termo “musicalização infantil” adquire então uma conotação específica, caracterizando o processo de educação musical por meio de um conjunto de atividades lúdicas, em que as noções básicas de ritmo, melodia, compasso, métrica, som, tonalidade, leitura e escrita musicais são apresentadas à criança por meio de canções, jogos, pequenas danças, exercícios de movimento, relaxamento e prática em pequenos conjuntos instrumentais.

Aprender música para Brito (1998) significa ampliar a capacidade perceptiva, expressiva e reflexiva com relação ao uso da linguagem musical. É importante que no processo de musicalização a preocupação maior seja com o desenvolvimento geral da criança, assegurada pelas aprendizagens de aptidões complementares àquelas diretamente relacionadas às musicais. É importante também,segundo a autora, que a escolha de cada um dos procedimentos musicais tenha por objetivo promover o desenvolvimento de outras capacidades nas crianças, além daquelas musicais, tais como: capacidade de integrar-se no grupo, de auto-afirmar-se, de cooperar, de respeitar os colegas e professor, comportar-se de uma forma tolerante (respeitar opiniões e propostas dos que pensam diferente dela), de ser solidário, de ser cooperativo ao invés de competitivo, de ouvir com atenção, de interpretar e de fundamentar propostas pessoais, de comportar-se comunicativamente no grupo, de expressar-se por meio do próprio corpo, de transformar e descobrir formas próprias de expressão, de produzir idéias e ações próprias. Essas são, segundo a autora, algumas das aptidões que podem ser desenvolvidas por meio de procedimentos de ensino de musicalização.

Para Feres (1989), a palavra musicalização extrapola o sentido de ensinar noções de leitura e escrita musical. Dizer que uma pessoa é musicalizada, diz a autora, significa dizer que ela possui sensibilidade para os fenômenos musicais e que sabe expressar-se por meio da música cantando, assobiando ou tocando um instrumento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário